Tártaro de cães: entenda suas causas e riscos e saiba como tratar6 min read

Você adora receber lambeijos de seu cãozinho, não é verdade? Essa é uma das maiores demonstrações de amor e afeto que ele tem por você. Porém, depois de uma lambida, pode acontecer de você sentir um mau-hálito bastante desagradável. Provavelmente esse seja mais um caso evidente de tártaro de cães!

Assim como acontece com nós, humanos, nossos cães também podem desenvolver o tártaro, e como consequência surge uma gengivite que causa o  mau-hálito que podem evoluir para outros problemas como endocardite e a morte.

Sim, tártaro também pode ser fatal para o seu cão.

Para evitar esses problemas, manter a higiene bucal do nosso pet é sempre fundamental. Que tal começar aprendendo mais sobre a prevenção e o tratamento do tártaro de cães?

Saiba quais são as causas desse problema, seus maiores riscos e as formas de tratamento e prevenção mais importantes para esse problema.

Tártaro de cães: O que é e quais as principais causas?

Assim como ocorre em seres humanos, o tártaro de cães nada mais é que a formação de uma placa bacteriana decorrente do acúmulo de restos de comida. O caso se agrava ainda mais quando oferecemos aos nossos amigos alimentos inapropriados, como doces e outras guloseimas.

Estes alimentos ajudam na formação da placa bacteriana, principalmente por ser mais facilmente retido na arcada dentária e também por não gerar atrito. Mesmo que seja ofertado ao cachorro somente ração seca, biscoitos específicos para cachorro e petiscos capazes de “limpar” os dentes, muitas vezes não será suficiente e o tártaro aparecerá.

No nosso caso escovamos nossos dentes diariamente (mais de uma vez ao dia), mas não fazemos com nossos pets, aumentando assim as ocorrências deste problema. 

Existe uma predisposição genética para essa eventualidade, observamos que cães de pequeno porte são mais susceptíveis. Vale citar também que os braquicefálicos (buldogue francês, shih tzu e pug, por exemplo) têm maior tendência a apresentar o quadro, assim como os cães que ainda apresentam dentes decíduos (dentes de leite), que levam a uma maior predisposição ao tártaro.

Os riscos do tártaro de cães

O tártaro é representado por um acúmulo de bactérias e outros sedimentos nos dentes, afetando o aspecto visual das bocas dos cães, com os dentes ficando com aspecto sujo e “menos brancos”.

Mas esse é o menor dos problemas, pois assim que o tártaro vai avançando, as bactérias começam a consumir as gengivas, elevando as ocorrências de doença periodontal e gengivite, responsáveis por causar dor e dificuldade de mastigação.

Em casos ainda mais sérios, as bactérias podem entrar na corrente sanguínea do animal, podendo chegar até o coração, nos rins e fígado, levando à endocardite, alterações renais, hepáticas, pulmonares e muitas outras doenças mais graves, que podem causar até a morte do cachorro.

Como identificar o tártaro em meu cachorro?

Um dos primeiros sintomas que indicam o tártaro de cães é o mau-hálito. Inicialmente, alterações na coloração dos dentes não são tão visíveis, mas a presença e um hálito desagradável normalmente indica que o tártaro está se acumulando.

Nas fases iniciais, os dentes do cão afetados pelo tártaro começam a ficar amarelados e vão passando para marrom. Além disso, as bactérias do tártaro começam a empurrar a gengiva, deixando-a mais avermelhada e inflamada. Em todos os casos causam gengivites que são as responsáveis pelo mal hálito.

Além disso, por poder causar dor nos dentes e gengivas, o tártaro de cães pode ser identificado quando o animal passa a comer menos, evitando a mastigação. Esses sintomas podem ser o indicativo de dor nos dentes decorrentes do tártaro.

Meu cão está com tártaro, o que fazer?

Você observou que seu cão está com mau-hálito e seus dentes estão mais amarelados ou marrons? Possivelmente seja mais um caso de tártaro de cães. Mas lembre-se, não será você o responsável por fechar esse prognóstico e sim um Médico Veterinário.

Portanto, se o seu cão apresenta os sinais de tártaro o mais importante é leva-lo para uma consulta com o seu veterinário. Será esse profissional o responsável por identificar qual será o grau do tártaro em seu cão, indicando dessa forma o melhor tratamento.

Na maioria das vezes, o tártaro de cães terá indicação de um tratamento periodontal.

Nesse tratamento será realizada a retirada total do tártaro. Esse procedimento costuma ser um pouco demorado e trabalhoso, principalmente por exigir a anestesia geral do cão. Também tende a ser relativamente cara, principalmente por exigir exames e tratamentos preparatórios.

Ao realizar esse tratamento o Veterinário irá afastar as gengivas do cão para fazer uma limpeza completa, pois será por meio das gengivas que as bactérias terão acesso para a corrente sanguínea, para, consequentemente, atingir demais órgãos do cachorro.

Para não chegar a esse ponto, a adoção de métodos preventivos, baseados na higiene bucal, são fundamentais, pois evitam ocorrências mais sérias de tártaro de cães.

Prevenção do tártaro de cães

Nós precisamos estar cientes que, na grande maioria das vezes, é muito difícil evitar por completo a formação do tártaro de cães. O que podemos (e devemos) fazer é ficarmos atentos para adiar ou, ao menos, amenizar a seriedade desse problema.

Por isso, vale seguir algumas medidas preventivas para que o tártaro em cães não seja um sério problema na saúde de seu pet. As principais medidas de prevenção são:

  • Escove os dentes do cachorro todos os dias ou, no mínimo, 3 vezes por semana. Mas lembre-se de utilizar creme dental adequados aos cães;
  • Ofereça ao seu cachorro somente produtos que tenham a textura e o tamanho apropriado para a raça e/ou porte do seu cão. Opte também por sempre oferecer rações de melhor qualidade ao seu amigo; Vale a pena lembrar que existem no mercado produtos específicos para raças pequenas que contem aditivos que auxiliam no retardo do aparecimento dos tártaros.
  • Ofereça ao seu cão biscoitos específicos que ajudam a evitar o tártaro. Há ainda rações e até “enxaguantes bucais” que auxiliam na prevenção deste problema;
  • Caso seu pet ainda apresente dentes de leite, vale se informar com o Veterinário sobre a possibilidade de fazer a extração destes;
  • Leve seu cachorro para check-ups e consultas regulares a fim de avaliar a saúde bucal dele.

Por fim, vale relembrar: Nunca procure soluções caseiras para acabar ou prevenir o tártaro de cães, procure sempre um Veterinário, afinal será ele quem vai dizer se é necessária a cirurgia o procedimento de limpeza de tártaro ou qualquer outro método.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *